O Arrebatamento da Igreja

Existe na palavra de Deus a profecia de que todos os que o servem seremos arrebatados, a encontrar o Senhor nas nuvens, e assim estaremos para sempre com Ele.

Mas, antes de estudarmos o arrebatamento, vamos ver quem compõe a igreja nestes últimos dias que antecedem este acontecimento. Note que antes de Cristo a salvação era apenas para os Judeus, mas agora ela é para qualquer pessoa que aceite a Jesus Cristo como seu salvador, e não existe mais diferença entre judeu e grego, servo ou livre, porque todos comparecerão perante o tribunal de Cristo – por isso sabemos que não haverá um tempo de salvação para os gentios, e outro para os judeus. Mas o tempo da salvação é hoje, seja para judeu, seja para gentio.

Vejamos em Efésios 2: 11 a 22:

“11 – Portanto, lembrai-vos que outrora vós, gentios na carne, chamados incircuncisão pelos que na carne se chamam circuncisão, feita pela mão dos homens;

12 – Que naquele tempo estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel, e estranhos aos concertos da promessa, não tendo esperança, e sem Deus no mundo.

13 – Mas agora em Cristo Jesus, vós, que estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto.

14 – Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio,

15 – Na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz,

16 – e pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades;

17 – E, vindo, ele evangelizou a paz, a vós que estáveis longe, e aos que estavam perto;

18 – Porque por ele ambos temos acesso ao Pai em um mesmo Espírito.

19 – Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus;

20 – Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra de esquina;

21 – No qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para templo santo no Senhor,

22 – No qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus em Espírito.”

E em outros versículos bíblicos.

Romanos 2: 11:

“Porque, para com Deus, não há acepção de pessoas.”

Atos 10: 34:

“E, abrindo Pedro a boca, disse: Reconheço por verdade que Deus não faz acepção de pessoas;”

Romanos 2: 29:

“Mas é Judeu o que o é no interior, e circuncisão a que é do coração, no espírito, não na letra: cujo louvor não provem dos homens, mas de Deus.”

Romanos 10: 12:

“Portanto não há diferença entre judeu e grego; porque um mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam.”

Gálatas 3: 26 a 28:

“26 – Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus.
27 – porque todos quantos fostes batizados em Cristo, já vos revestistes de Cristo.
28 – Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus.”

Colossenses 3: 10 e 11:

“10 – E vos revestistes do novo, que se renova para o conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou;
11 – Onde não há grego nem judeu, circuncisão nem incircuncisão, bárbaro, cita, escravo ou livre; mas Cristo é tudo em todos.”

Vemos, portanto, que quanto à salvação já não existem mais dois povos, mas um só que foi adquirido pelo sacrifício remidor de Nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos comprou com seu sangue. Agora existem somente aqueles que são salvos, e os perdidos que não aceitam a Jesus Cristo como seu salvador.

Em outras palavras, cremos que a porta da salvação está aberta agora para todos, seja gentio, seja judeu, e quando ela se fechar o será para todos também, e a grande tribulação que há de vir ocorrerá com toda a igreja ainda na terra, caso contrário seria um fato sem importância porque viria apenas para os perdidos. A tribulação será trazida pelo inimigo, e ele quer derrubar quem está em pé, e não quem já caiu.

Portanto, virá para colocar em provação a igreja, e se não fossem abreviados aqueles dias nenhuma carne se salvaria, mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias (Mateus 24: 22). Ora, se os dias da grande tribulação serão abreviados por causa dos escolhidos, é porque eles ainda estarão aqui na terra – de onde vemos também que ela será realmente terrível do ponto de vista da manutenção da fé, porque todos serão tentados a abandoná-la, a deixar de crer.

Somente então é que acontecerá o arrebatamento, quando os mortos ressuscitarem e os que estiverem vivos forem transformados, sendo todos arrebatados juntamente, a encontrar o Senhor nas nuvens, e assim estaremos para sempre com o Senhor.

I Tessalonissenses 4: 16 e 17:

“16 – Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro.
17 – Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.”

Não acontecerão duas ressurreições, uma de gentios e outra de judeus, e também no arrebatamento todos os que são de Cristo subirão a encontrá-lo nos ares, até mesmo aqueles que já estiverem mortos na sua vinda, pelo que sabemos que haverá um único e universal arrebatamento.

Veremos agora o que está relatado em Apocalipse 12: 5 e 6:

“5 – E deu à luz um filho, um varão que há de reger todas as nações com vara de ferro; e o seu filho foi arrebatado para Deus e para o seu trono. 6 – E a mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus, para que ali fosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias.”

Estes versículos narram a vitória de Cristo sobre satanás, e que depois desta vitória, a mulher (entenda-se Igreja) foi perseguida pelo seu inimigo, mas está protegida, e na hora mais angustiosa será protegida e amparada por Deus, e a alimentação que relata o versículo 6 é quanto à continuidade da pregação da palavra, porque “nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que brota da boca de Deus (Lucas 4: 4).”

Vejamos ainda em Apocalipse 12: 14 a 18:

“14 – E foram dadas à mulher duas asas de grande águia, para que voasse para o deserto, ao seu lugar, onde é sustentada por um tempo, e tempos e metade de um tempo, fora da vista da serpente.
15 – E a serpente lançou de sua boca, atrás da mulher, água como um rio, para que pela corrente a fizesse arrebatar.
16 – A terra ajudou a mulher; e a terra abriu a boca, e tragou o rio que o dragão lançara da sua boca.
17 – E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra ao resto de sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus, e teem o testemunho de Jesus Cristo.

Veja que aqui está relatado o mesmo fato visto anteriormente, ou seja, que a serpente, ou dragão que é o mesmo satanás, perseguirá a mulher (Igreja), mas esta fugirá para o deserto. Deserto aqui é entendido como sendo um lugar “fora da vista da serpente” (versículo 14), portanto, o diabo não terá domínio sobre os escolhidos de Deus que formam a Igreja.

Em apocalipse 13 vemos que todos serão numerados, mas os que são de Jesus Cristo não aceitarão esta numeração, portanto, não poderão ser controlados pelo anticristo, ou seja, estarão no deserto, longe da vista da serpente, e de seus ataques (a água lançada como um rio da boca da serpente não chegará até os escolhidos de Deus para seduzi-los).

É interessante anotar que este “deserto” será aqui mesmo, onde cada um vive, mas será sem qualquer tipo de controle do poder político ou religioso, do poder maligno, porque quem não tiver o número da besta não poderá ser controlado ou vigiado.

A igreja será então sustentada por Deus, quer dizer, receberá a palavra de Deus e continuará a prestar culto ao Senhor Jesus e a Deus criador dos céus e da terra.

Neste tempo é que o diabo lançará água de sua boca para tentar tragar (fazer desviar) a igreja. Por isto se entende que o diabo irá falar (o que sai da boca são palavras) de forma a tentar convencer os escolhidos a aceitarem o controle, a numeração, mas Deus fará com que a terra (o povo do mundo) abra a sua boca e engula (se alimente) esse rio maligno de palavras que serão faladas pelo diabo.

Neste tempo o dragão irá fazer guerra contra os demais filhos da igreja (mulher), os que guardam os mandamentos e mantém o testemunho de Jesus (judeus que aceitarão a Cristo) porque embora façam parte da igreja e estejam também no “deserto”, é necessário que sejam perseguidos para que se cumpra a palavra de Deus.

Surgirão então as duas testemunhas mártires das quais relata o capítulo 11 de apocalipse, o que ocorrerá no mesmo tempo em que a igreja (gentios e judeus) estará “longe da vista da serpente”. E serão numerados os cento e quarenta e quatro mil que não se contaminaram com mulher, ou seja, os escolhidos dentre os judeus que não aceitaram qualquer sociedade humana como sendo a igreja de Deus (denominações com “mandamentos” próprios, presidentes e dominadores), mas serão fiéis a Cristo Jesus e com Ele andarão vestidos de branco, e com Ele estarão eternamente. Amem.

Tudo sendo consumado, então os mortos ressuscitarão, e os que estiverem vivos serão transformados, e todos subiremos (arrebatados) ao encontro do Senhor nos ares. E assim estaremos para sempre com o Senhor Jesus Cristo, autor e consumador de nossa salvação. Amém. Glórias a Jesus Cristo agora e eternamente, amém. Maranata.

Não espere que ocorra um arrebatamento que irá levar a igreja a um lugar onde estará sem perseguição, sem lutas, mas saiba que a chamada grande tribulação vem justamente para provar a igreja e aperfeiçoar os santos.

“Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda” (Apocalipse 22: 11).

“Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestes no sangue do Cordeiro para que tenham direito à árvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas” (Apocalipse 22: 14).

E oramos: ora, vem Senhor Jesus. A graça do Senhor Jesus seja com todos.

Pr. Eugenio Carpigiani Neto