O véu

O apóstolo Paulo ensinou à Igreja, em sua primeira carta dirigida aos Coríntios, que a mulher deve colocar o véu quando for orar ou profetizar. No entanto, muitas pessoas não entendem este mandamento e assim deixam de cumpri-lo ou ensiná-lo trazendo prejuízos para si mesmos.

Tendo em conta que você já tenha examinado a referida carta, especialmente o ensino sobre o uso do véu (I Coríntios 11: 1 a 16), fazemos ainda a recomendação que acompanhe este breve estudo com a sua Bíblia em mãos, conferindo cada versículo.

Toda a dúvida existente nos corações dos irmãos reside em apenas um versículo daquele livro, mais precisamente o registro constante do capítulo 11, versículo 15, onde está dito:

"Mas ter a mulher cabelo crescido lhe é honroso, porque o cabelo lhe foi dado em lugar de véu."

Porém, os versículos 1 ao 14 daquele capítulo relatam que a mulher deve ter sobre sua cabeça um sinal de poderio, ou, em outras traduções, um sinal de submissão. Com isso vemos que este sinal não nasce com ela, mas ele deve ser colocado sempre que a mulher for orar ou profetizar porque é uma escolha dela, e este sinal deve ser usado somente nestas duas ocasiões, não sendo, no entanto, proibido que ela permaneça com o véu durante um culto ou de uma oração, desde que faça pelo Espírito Santo.

Se o cabelo fosse o véu ensinado nas Escrituras do Novo Concerto, então não seria necessário que a mulher o usasse somente em duas 2 ocasiões especiais – orar ou profetizar – porque ela o teria sempre consigo. E, ainda, o homem também teria véu porque o homem também tem cabelo.

Note que a mulher nunca foi sacerdotisa, e no Velho Testamento ela sequer podia adentrar o Templo onde havia um local especialmente reservado para elas do lado de fora, conhecido como o "átrio das mulheres".

A mulher também não podia interceder, mas somente os homens da tribo de Levi é que recebiam o sacerdócio. Com a vinda das "Boas Novas", o Senhor Jesus autoriza à mulher que compareça em Sua santa presença em oração, ou que seja usada pelo Espírito Santo para profetizar, porém, exige que ela tenha sobre a sua cabeça um sinal (I Coríntios 11: 10).

Este sinal está bem explicado quando nos é ensinado que Deus é o cabeça de Cristo, sendo Cristo o cabeça do Homem e este o cabeça da mulher (I Coríntios 11: 3), por isso o homem não pode cobrir a sua cabeça quando for orar ou profetizar, ou seja, nada deve ter sobre a sua cabeça porque ele ficaria desonrado (I Coríntios 11: 4).

O homem é imagem e glória de Deus, e a mulher é a glória do homem, por isso existe diferença na presença de Deus entre o homem e a mulher, pois esta foi criada por causa daquele embora todos tenham vindo de Deus (I Coríntios 11: 7 a 9).

O versículo 6 é especialmente esclarecedor no ensino do uso do véu pelas mulheres quando forem orar ou profetizar;

"Portanto, se a mulher não se cobre com véu, tosquie-se também. Mas, se para a mulher é coisa indecente tosquiar-se ou rapar-se, que ponha o véu."

Veja que à mulher, ao contrário do homem, é ordenado que ponha o véu quando for orar ou profetizar, o que nos leva à conclusão de que a mulher tem a liberdade de escolher estar ou não com o véu. E, escolhendo servir a Deus, ela deve colocar o véu todas as vezes em que for orar ou profetizar conforme ensina o Espírito Santo.

A confusão que alguns querem trazer para prejudicar a fé das filhas de Deus não tem sentido e nem base bíblica, porque está bem claro o ensinamento, e o versículo quinze não pode ser lido solitariamente porque está no contexto dos anteriores.

Pela leitura dos versículos 13 e 14 vemos que o uso do véu é ensinado pela própria natureza humana, ou seja, a mulher tem humana e naturalmente o cabelo crescido, enquanto que o homem tem o cabelo curto. E esta forma de ser, materialmente falando, é honroso para a mulher e para o homem serem assim.

Então, explica o apóstolo guiado pelo Espírito Santo, que se a própria natureza humana nos ensina tais diferenças, muito mais devemos ser fiéis e obedecer a Deus que exige que a mulher coloque o véu quando for orar ou profetizar, de outra forma ela estaria em desonra na presença de Deus.

Veja que a natureza ensina que é honroso ao homem ter cabelo curto, e à mulher ter o cabelo crescido porque este, sendo crescido na mulher, se assemelha ao véu, porém, não é véu porque se assim fosse, o homem também poderia, deixando o cabelo crescer, estar com véu, e, de outro lado, não seria necessário mandar que a mulher o colocasse somente naquelas duas ocasiões especiais de oração e profecia. 4

Mas a honra que é ensinada nos versículos 14 e 15 é meramente humana, enquanto que a honra espiritual é o uso do véu pelas mulheres quando forem orar ou profetizar, e a cabeça descoberta para os homens quando praticarem os mesmos atos, caso contrário seria necessário existir um ensinamento para que os homens não deixassem o cabelo crescer.

Caso uma mulher totalmente sem cabelos se apresente aos homens ela certamente estará em desonra, mas, se comparece à presença de Deus estará honrada se colocar o véu, independentemente do que possam pensar os homens.

Enfim, nos ensina o Espírito Santo que a mulher deve cobrir-se com véu todas as vezes em que for orar ou profetizar, pois senão estará desonrada, e o homem não pode ter a cabeça coberta na presença de Deus. Não temos o costume de ser contenciosos nem as igrejas de Deus porque cada um dará conta de si no último dia, e os que são verdadeiramente convertidos cumprem a vontade de Deus com alegria.

Deus nos abençoe a todos. Amém.

Pr. Eugenio Carpigiani Neto.